Segunda-feira, 21 de Abril de 2014

Glossário

Artistas no Portal

Aguarde...

Biografias

Facebook



Ernani Braga

 
Ernani Braga nasceu no Rio de Janeiro em 10 de janeiro de 1888. Era filho de portugueses, estudou piano com os melhores professores da época. Ganhou uma bolsa de estudos na França onde conheceu sua esposa Eponina D'Atri. Participou da Semana de Arte Moderna de 1922, em São Paulo, ao lado de Villa Lobos, como seu intérprete.
Carioca, boêmio, mulato de olhos verdes, viajante e jogador, Braga foi bom compositor, mas será lembrado principalmente pela harmonização de canções populares. Em Pernambuco deixou importante marca no mundo musical da cidade como fundador do Conservatório de Recife. O professor e maestro Ernani Braga, liderando outros ilustres músicos da época, desenvolveu uma campanha em prol da criação do Conservatório Pernambucano de Música, como um meio de elevar o nível de ensino da música, através da educação musical. Ele não entendia como Recife, capital aberta às grandes iniciativas culturais e com um grande numero de músicos, não tivesse um estabelecimento de ensino do gênero, dispondo de tão grande potencial docente.
Professor de Camargo Guarnieri em São Paulo, formador de corais, confessava-se "um enamorado dos Pampas", e daí esta tão expressiva canção folclórica gaúcha.
Morreu em São Paulo em 20 de setembro de 1948.
Participação de Ernani Braga na Semana de Arte Moderna:
Participantes:
Música: Heitor Villa-Lobos, Guiomar Novaes e Ernani Braga.
No dia 13 de fevereiro, o músico Villa-Lobos, ao reger duas composições de sua autoria, foi vaiado pelo auditório com gritos e assobios, provocando uma enorme confusão no Teatro Municipal e interrompendo a sua apresentação.
A conferência de Graça Aranha é ilustrada por musicais regidos por Ernani Braga e por declamações de poemas feitas por Ronald de Carvalho e Guilherme de Almeida.
O "gran finale" surge na forma de um recital de música comandado pelo maestro Ernani Braga.
A música de Ernani Braga critica Chopin, o que levaria a pianista Guiomar Novaes a protestar publicamente contra os organizadores da semana.

Solos de piano: Ernani Braga na Semana de Arte Moderna:

a) (1917): "Valsa mística" (da Simples Coletânea);
b) (1919): Rodante (da Simples Coletânea);
c) (1921): A fiandeira (Villa Lobos)

Músicas de Ernani Braga:
Prenda Minha
Capim di Pranta
Nigue-nigue-nhas
São João Da Ra Rão

 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Banner